segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Igreja e Ciência: Um preconceito superado?! Uma intuição a partir de São Justino de Roma

Por Claudemir Marcel de Faria
Teólogo e Filósofo

“Tu reza antes de tudo para que as portas da luz te sejam abertas, porque ninguém pode ver e compreender, se Deus e o seu Cristo não lhe concedem discernir” (São Justino - Dial. 7, 3).

Neste artigo, inspirado na vida e na obra de São Justino de Roma proponho, à luz de São Justino, Filósofo e Mártir a pensarmos sobre as relações que a Igreja Católica estabelece com a Ciência.
É impressionante a tamanha desinformação ou desatualização que observamos em professores, jornalistas, formadores de opinião, em geral, sobre as relações que a Igreja estabelece com a Ciência.
Há muitos que ainda pensam com a única informação da quinta série, do “professor” formado na concepção da História de cunho positivista brasileira: que a Igreja é a vilã da ciência, que a Igreja impediu a humanidade ao progresso, que a Igreja foi o demônio da Idade Média, que a Igreja defende Adão e Eva a unhas e dentes enquanto a Ciência já provou a muito tempo que a origem do Universo, é muito provável que  seja o Big-Bang, ou seja, que entre Igreja e a Ciência há uma rivalidade. E o pior, é que a Igreja passa por mentirosa e a Ciência a verdade absoluta.
Sem contar os “mal formados” em matéria de religião que atribuem à Igreja os qualificativos do tipo “A Besta do Apocalipse”, “A Nova Babel”, “ A Mãe e Prostituta”, “A maquiavélica seguradora dos segredos dos Arquivos do Vaticano”. Infelizmente só nos resta exclamar: Tamanha Ignorância! Isto porque se referem à uma das Instituições mais antigas da história das sociedades. Ela simplesmente plasmou toda a civilização ocidental. Agora a própria filha vira as costas pra mãe e ainda a chama de “prostituta”. E o pior, caem noutra prostituição e depois condenam a própria mãe! Oh, adolescência espiritual-racional! Oh, fundamentalismo ingrato! Oh, Vida sem sentido!
Pensar assim hoje é como dar um “tiro no próprio pé”, ou na cabeça mesmo… Mas tem muita gente que ainda pensa assim, até gente da própria Igreja. Pasmem! Conta-se pelos corredores da universidade uma história verídica e interessante que ilustra nossa temática.
Dois jovens estudantes de  geometria voltavam da Universidade de Paris para suas casas e no trajeto, dentro do bonde conversavam sobre as teorias do grande matemático Blaise Pascal, inusitadamente  viram um senhor muito simples com um terço na mão e mexendo os lábios. Logo notaram que este “velho” estava rezando o terço. E comentaram entre si mais ou menos assim: “Veja, pobre senhor!, que atraso de vida!, se soubesse das grandes descobertas de Pascal, dos avanços da modernidade, jamais continuaria com essa piedade ridícula dos Católicos.”
Incomodados ainda com o pobre senhor decidiram ir ao encontro dele para caçoá-lo. Se aproximaram e se apresentaram: “Com licença. Olá Senhor, somos Jean e Villenouven, estudamos Geometria na Universidade de Paris. O senhor, por acaso já ouviu falar do grande Blaise Pascal?”- o pobre senhor respondeu – “Oh! Já ouvir dizer algo sobre ele.” – eles prosseguiram – “Através das teorias dele, senhor, achamos uma bobagem essa coisa de religião, rezar etc… Isto já é coisa do passado.” – e perguntaram – “ A propósito, desculpe-nos, como o senhor se chama ?” – o senhor levantou a cabeça e com um sorriso sereno respondeu – “Muito prazer, meu nome é Blaise Pascal”…
Deixamos esta pequena história apenas ilustrativa, pois, se fossemos apresentar o que Igreja tem haver com ciência precisaríamos de milhares de Blogs para tratar especificamente sobre isso. Mas, para não passar em branco,  sugerimos que acessem os links abaixo só para terem uma minimíssima noção sobre o intenso diálogo que a Igreja estabelece com a Ciência, ou melhor com as ciências.
Em 1998, o Saudoso Papa João Paulo II tratou deste tema com grande propriedade na Carta Encíclica “Fides et Ratio”, onde inclusive ele lá cita várias vezes São Justino entre outros Padres da Igreja. Nesta Carta o Papa trata das relações entre fé e razão. Para ele fé e razão, ou seja, Igreja e Ciência são como que duas asas que elevam o ser humano à Verdade, ou seja, a Deus e vice-versa.
Portanto, Igreja e Ciência caminham juntas. Pesquise mais sobre as “leis da evidência”, “o método cientifico”, os fundamentos da urbanização e das universidades, qual a instituição que salvou as cidades onde ninguém tinha registros de nascimento, se não fosse ás certidões de batismo…, o “princípio antrópico”, onde fica um dos mais importantes observatórios astronômicos do Planeta. Pesquise qual é uma mais potentes emissoras de rádio do mundo, como é feito os processos de canonização dos santos, como se configurou a “doutrina social da Igreja” entre outros e veremos que Ciência e Igreja andam de mãos dadas muito mais do que imaginamos.
Que São Justino, no seu testemunho e comunhão com os santos nos ajude a sermos homens e mulheres de Ciência e de Fé profundas e interdependentes sempre em busca da Verdade! Senhor Jesus Cristo, tu que és o Caminho, a Verdade e Vida, dá-nos força para que jamais vivamos uma fé que não seja inteligente e uma inteligência que não abrace a fé.
Até Breve !!!

Acesse:
Site Academia de Ciências do Vaticano

Encíclica Fides et Ratio

Secção do Blog do Professor Felipe Aquino sobre questões de Fé e Ciência:

Discurso de Bento XVI:

Grandes cientistas e intelectuais católicos Brasileiros

Dra. Alice Teixeira (USP): http://www.biof.epm.br/alice.htm

Dr. Jean Lauand (USP): http://jean_lauand.tripod.com/

Profº e jornalista Olávo de Carvalho:

Os mais conceituados Historiadores da História Medieval:
Régine Pernoud:

Daniel Rops:

Um comentário:

  1. So corrigindo a doutora Alice teixeira é da UNIFESP e não USP

    ResponderExcluir